terça-feira, 23 de julho de 2013

Restaurantes dos últimos dias antes da viagem - Le Jazz, Kinoshita, Parigi, Rufino's, Adega Santiago, Nanako, Pobre Juan e A bela Sintra.

Le Jazz - Eu e uma amiga passamos na frente em uma visita ao Jardins e resolvemos parar - O restaurante fica na Melo Alves, uma ou duas quadras pra baixo da Oscar Freire. Pedi um cosmopolitan, que estava super gostoso. Acabamos pedindo um tartar de atum grande pra dividir como entrada. Uma delícia! Depois, dividimos uma omelete recheada de gruyere, cogumelo e salmão defumado. Tudo impecável. O clima é muito gostosinho, mesas apertadas e redondas como num bistrot em Paris. A música de fundo e a decoração são bem parisienses também. Tomamos café. E a conta. com duas caipirinhas de saque? R$ 170,00 a dupla...

Kinoshita - É na esquina de casa, na Rua Jacques Félix. Já havia ido antes e, sinceramente, não tinha gostado - optamos, na época, pelo menu degustação. Não sei se foi a gravidez, mas, na época, não apeteceu... Bom, dessa vez fui almoçar no dia do meu aniversário (18 de maio) e optei pelo a la carte mesmo. Começamos com um temaki - o meu de ouriço (uni) e o do meu marido de camarão.... Hummmmm: Sensacional! Depois, uma rodada de sashimis: sashimi de atum com shitake e ovas, sashimi polvo, de buri, de namorado e de salmão. Que delícia! Ainda fomos no "sashimi" de kobe beef com pasta de soja (uma espécie de carne bovina japonesa selada). Deslumbrante!!! Ainda, para finalizar, sushi (eu chamo de niguiri quando é o arroz com a fatia de peixe por cima, mas lá é sushi) de buri, de atum com foie gras e de vieira. Estonteantes!!! TODOS. Assim, aprendemos que uma segunda chance pode nos surpreender. Juntamente com Momotaro (na Diogo Jácome), Aizomê, Nagayma e Jam Warehouse, virou um dos meus prediletos! A conta foi de R$ 450,00 o casal, sem bebida alcoólica.

Parigi - No jantar do aniversário, resolvi testar um restaurante novo. Tomamos um vinho Rosso de Montalcino - Casanova 2009 - sensacional. Acabamos aceitando o couvert, por insistência do meu marido. Vieram pães, manteiga, pate de fígado, pate de ricota com ervas e azeite, bruschetta e grana padano. A bruschetta estava deliciosa. De principal, fomos eu de atum grelhado pimenta verde e ravioli de batata com alho poró, e meu marido de gnocchi com ragu de galinha d'angola. Bem gostosos os pratos. Mas a surpresa foi a sobremesa: o sufle de chocolate com sorvete é de comer rezando. Demora uns 15 minutos pois é assado na hora. E vale CADA segundo de espera! O ambiente é bem sóbrio, forrado do chão ao teto alto de madeira escura. Um pouco fresco o lugar, mas fomos super bem atendidos e a noite não deixou em nada a desejar. Acho que foi em torno de R$ 600,00 a conta do casal com o vinho (parte substancial da conta).

Rufino's - Tenho minhas resistências quanto ao couvert... Mas no Rufino's ele vale MUITO a pena. A cestinha de pães não vem apenas acompanhada de manteiga. Legumes no azeite, salmão defumado e lulas vinagretadas fazem parte - além de uma sardinha escabeche sensacional! Peixe Rufino's nota 10, que pedimos num tamanho a comportar 3 pessoas.

Adega Santiago - Com o frio chegando, os pratos portugueses apetecem muito. E o Adega Santiago é um restaurante que entende muito bem disso. Fomos 2 vezes, e em ambas fomos muito bem tratadas e comemos muito bem. Da primeira vez comemos bruschetta, polvo a lagareiro, tomamos um vinho Quintas do Cachão e, por fim, tiveram os churros. Da segunda, comemos o bacalhau, que apesar de ser para 2 pessoas, serviu 3 (mulheres), muito bem.

Nanako - Japonês em Moema, freqüentado pela comunidade nipônica mesmo. Vou bastante. É uma espécie de bufet a vontade. Tudo bem tradicional e preço fechado (acho que, com bebida não alcoólica, café e garçom não sai mais que R$ 100,00 por pessoa). Os cortes de sashimi são ótimos e frescos, mas o ambiente é bem simples, com mesas e cadeiras de plástico. Sem muitas daquelas invenções e rococós dos japoneses mais refinados, é uma opção pra quem quer um jantar rápido (afinal, já está tudo ali), diferente e barato. A mesa de quentes é bem gostosa, com teppans, tempurás (incluindo de camarão) e outros pratos quentes. O missoshiro é muito gostoso.

Pobre Juan - Confraria desfalcada e, já que nossa integrante saudável não estava, optamos por um restaurante de carne. Pra variar, decidimos ir ao Cidade Jardim - é fácil estacionar, as opções de restaurante são ótimas e sempre acabamos passeando em alguma loja. Pedi ojo de bife, palmito e farofa.  Que delícia! Os churros também estavam ótimos, mas essa sobremesa não compete com a do Adega Santiago.

A bela Sintra - Não vou puxar sardinha, mas que o restaurante é bom, é bom. Não tenho como negar. Fomos em um grupo de 3 casais e deixamos a escolha do vinho a cargo do Bittencourt. As entradinhas são de morrer - bolinho de bacalhau, croquete e queijo fresco feito na casa. Pedimos panelinha de polvo (o melhor polvo da cidade, pra mim). Pedi a cataplana de frutos do mar, que vem com creme de leite. Comi o prato todo. MARAVILHOSO. Hummmmmm - não faço idéia de quanto deu a conta e quantos vinhos tomamos. Saímos a 01a.m.


Nenhum comentário:

Postar um comentário