segunda-feira, 22 de abril de 2013

Restaurantes dos últimos 15 dias - Ecco, Spago, Osaka, Kosushi, Gato que Ri e Varanda.

Quem mora em SP sabe que um dos maiores prazeres que a cidade oferece é a gastronomia. As cozinhas dos restaurantes remetem às mais diversas culinárias, e há jóias que não deveriam passar desapercebidas. Outros, que têm mais nome do que qualidade ou sabor (caso do D.O.M. que, ao MEU paladar, não agradou).

Para um casal com filhos, acaba sempre sendo o programa mais fácil para quebrar a rotina e sair de casa, pois geralmente se janta depois das 21:00 e os bebês costumam já estar na cama. Ou seja, se tem alguém pra poder ficar com eles durante a noite, é um tipo de programação que fazemos sem peso na consciência de estar perdendo um momento importante da vida deles.

Nestes últimos dias, fui a alguns lugares que merecem algumas notas e comentários. Afinal, compartilhar sempre o que se descobriu de bom (ou ruim) é importante.

Ecco - como disse a uma amiga um dia desses, não ter assistido ao The Godfather é uma situação digna de vergonha (não sei o que houve - nunca parei para assistir ao filme, por falta de iniciativa e oportunidade mesmo). E em relação ao Ecco, agora que conheço, posso dizer a mesma coisa. Nunca havia entrado e isso que adoro ir jantar na Rua Amauri. Pois agora, redimida, conto que a-do-rei. O couvert é uma delícia e fiquei encantada com o peixe ao molho de limão. Deslumbrante mesmo. Um pouco mais casual que os outros restaurantes da rua, não deixa a perder em nada, mesmo sendo um pouco mais em conta. Como diriam as blogueiras, é um "must go" absoluto.

Spago - esse foi idéia de uma amiga minha, que estava alucinada para conhecer os cannolis do lugar, pois havia visto uma nota na Vejinha. E os cannolis, minha nossa (nunca pensei que ricota com laranja e chocolate enrolados em massa e acompanhados de sorvete de pistache pudessem ser tão bons). Mas a comida em si deixou a desejar. Acabei comendo um sanduichinho de massa italiana feito com salmão defumado, cream cheese e pepinos (que eram picles, na realidade) e fui ao buffet de saladas. Fiquei com fome... A sorte é que, depois dos cannolis, fomos a Maria Brigadeiro continuar o café com conversa fora. E que delícias os brigadeiros!

Osaka - outro da Rua Amauri. Esse é novíssimo e acabamos parando por acaso, sem qualquer tipo de referência prévia. Achei que seria um japonês tradicional, mas é de comida oriental agregada de toques peruanos. Comemos uma degustação de ceviches - salmão, atum e peixe branco, cada um com um molho bem diferente, todos excelentes. Comemos sushis e sashimis, também super gostosos, mas sem nada de muita inovação. O atendimento que é meio ruim, mas não sei se foi por causa da recente inauguração da casa (fomos atendidos pelo maître e ele errou os pratos)...

Kosushi - este é um japonês que eu já gostava antes, ali do Itaim. O carpaccio de merluza negra é sensacional, os sashimis de vieira também, além de sempre terem sashimi buri e toro (o buri-toro é raro). O atendimento é sempre ótimo e os temakis muito bons (menores e com pouco arroz, alga super crocante).    O ambiente é lindo, bem moderno, com iluminação a meia-luz. O problema é que sempre está muito cheio e para se sentar com tranqüilidade é preciso chegar cedo. Dessa vez fui ao do Shopping Cidade Jardim, e posso assegurar que a qualidade dos pratos é a mesma. Em que pese a estonteante vista da cidade de SP que o Shopping traz de cenário, o ambiente não é tão bonito quanto o da casa do Itaim.

Gato que Ri - que delícia! O duro é ir ao Largo do Arouche, o que só fizemos por ser final de semana e por ter um motivo muito especial. Minha avó, que mora em uma cidade do Vale do Paraíba, costumava ir com meu avô há 4 décadas... Mas como ele já faleceu há uns 20 anos, ela estava saudosa do capeletti in brodo e da lasanha verde. Ligamos no local e o Gilberto, um dos donos, providenciou uma lasanha verde pra ela sem carne (pois nesses 20 anos ela virou vegetariana), uma atenção só. Eu comi tagliarini nero com frutos do mar. Estupendo! Todos da mesa amaram os pratos e saímos de lá muito felizes e satisfeitos.

Varanda - é a melhor carne de SP, sem competição. Adoro o Pobre Juan, o 348 e o North, mas o Varanda é hors concours... Meu pai, também do Vale do Paraíba, fica decepcionado se vem a SP e não vamos a esse restaurante. O bife de tira (corte brasileiro) é sensacional. Deslumbrante mesmo. O arroz biro-biro e a farofa... Minha nossa senhora... Dica: o cafezinho já vem cheio de guloseimas (trufinhas, suspiros, laranjas secas, docinhos de leite) e fica difícil prová-los se pedir sobremesa...rs Agora também tem no Iguatemi JK, mas não provei a carne, apenas o peixe (que não era nada demais).

UFA!

E aí, alguém tem alguma impressão diferente desses lugares?






Nenhum comentário:

Postar um comentário