quarta-feira, 17 de abril de 2013

Optando por uma babá. Onde procurar e média de salários.

Está aí um dilema que grande parte das mães que trabalham têm. E comigo não foi diferente quando precisei voltar ao escritório. Primeiro, optar entre babá e escolinha. Depois, quanto pagar?
De plano, para mim, a escolha não foi muito difícil. Fiquei ressabiada de colocar meu bebê em uma escolinha, sabendo que ele não sabia falar e pedir as coisas - e se não soubessem interpretar os choros como eu faço? Preferi alguém 100% pra ele, focada exclusivamente nas suas necessidades e que não tivesse que dividir o tempo com outras crianças. Além disso, por eu ser associada ao escritório, não havia carga máxima, horários definidos, etc. A qualquer momento poderia ter que ficar até bem mais tarde ou mesmo ter que viajar. E o que fazer com o bebê se algo assim acontecesse? A creche tem horário de saída e alguém precisaria busca-lo e ficar com ele. Minha família é do interior e meu marido viaja demais. Eu precisava de uma estrutura logística segura. Ao menos neste primeiro momento EU (dou ênfase a essa ser uma escolha totalmente particular de cada família) decidi por uma babá e que dormisse. Ainda estávamos sem limite de carga horária aos funcionários domésticos.
Então, veio a dúvida. Quanto pagar?
De agência em agência (já que não sabia nada sobre o assunto e onde pesquisar) pesquisei a média salarial, ainda que sabendo que poderia ser um número inflacionado. Em janeiro de 2012 estava entre R$1mil e 1,8mil - obviamente com exceções de enfermeiras, cujos salários variavam, à época, entre R$2mil e R$3mil.
Para se ter uma idéia de salários, recomendo uma busca no site da Kanguruh Morumbi. Lá há perfis, pretensões salariais e o mais legal de tudo são os vídeos, que já dão uma prévia das candidatas.
Contratei uma de R$1,5mil através de uma agência que não vou citar o nome. Aparentemente, fizeram uma busca superficial de referências e elas eram mentirosas.
Passei para uma babá que a doméstica de casa indicou. R$ 1,8mil. Ótima a menina, mas matava deus e o mundo toda segunda-feira para faltar. Depois, começou a constantemente "estar de atestado", faltar por qualquer motivo, etc.
A segunda babá, R$1,8mil no período de experiência, R$2mil se ficasse. Ótima também, mas prepotente. Acabou brigando com minha mãe e, por mais que fosse exemplar nos cuidados com bebê, tive que dispensar.
Entrevistei uma de R$2,4mil mais plano de saúde. Já não agüentava mais e resolvi bancar, pois parecia ótima, referências de um prédio vizinho que chequei existir. Tudo acertado, um dia antes dela começar, liguei. Não ia mais trabalhar comigo pois havia encontrado quem pagasse mais (?!?!). E eu, já não estava pagando o máximo??? Aquele não era o limite?
Acabei pedindo a licença não remunerada do escritório, como contei no primeiro post. E comecei a procurar com calma.
Fui extremamente bem atendida pela hunter de babás Bia Greco. Que me enviou candidatas muito razoáveis e de acordo com meu perfil.
Comecei a procurar em sites que disponibilizavam currículos gratuitamente. Para serviços de "babás de luxo", encontrei o da blogueira Taluana Adjuto - http://elitecarebrasil.blogspot.com.br/p/boa-sorte.html - que é muito bom e diz muito sobre contratações desse tipo. Super bacana.
Também pesquisei na OLX e Vivastreet. E, por incrível que pareça, contratei via OLX - chequei referências a fundo e antecedentes criminais.
Atualmente pago R$2 mil para dormir, mas ela fica com meu filho apenas durante o dia e não fica com o bebê à noite ou com a babá eletrônica ligada. Apenas quando saio, mas assumo assim que chego.
Tenho também uma folguista, para os finais de semana, que também encontrei na OLX. Pouco mais de  R$ 300,00 por 48hrs.
DICAS: 1) Leiam os contratos com agências. Prefiram aquelas em que haja o pagamento mediante a contratação (nas em que há o pagamento antecipado, há o costume de se esquecer do cliente depois) e que haja a possibilidade de período de experiência com eventual substituição garantida;
2) Confiram os serviços que as agências prestam - checagem de referência, antecedentes criminais e processuais e exames médicos.
3) Passeie nas praças Pereira Coutinho da Vila Nova Conceição ou na Buenos Aires do Higienópolis - há uma quantidade imensa de babás e elas sempre conhecem colegas precisando. É uma rede.
MÉDIA DE SALÁRIO: Depende muito de região.
Tenho uma amiga no Morumbi que paga R$ 1,2mil. Mas, por aqui no meu bairro (próximo ao Ibirapuera), é difícil menos de R$ 1,5mil. Até mesmo é raro esse valor.
Com minhas amigas, vejo algo em torno de R$2mil líquidos para dormir. Chegando a até R$ 3mil em alguns casos. Ou seja, depois dos descontos (INSS da parte delas), é esse o valor que recebem.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. O site de vcs é um arraso! Parabéns (e obrigada por ajudar as mãe em desespero, né).

      Excluir